quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

A igreja na Arábia Saudita




Nesses últimos dias do advento acompanhamos a situação de sofrimento e perseguição em que a igreja em alguns paises está passando. Na postagem do dia 17 de dezembro falamos sobre a igreja no Iraque, no dia 18 na China, no dia 19 na Índia, e por fim no dia 21 sobre a igreja na Venezuela.


Hoje comentaremos a situação da igreja na Arábia Saudita. Neste país são proibidos por lei qualquer tipo de expressão de fé cristã e aqueles que desobedecem essa lei sofrem punições que vão desde a flagelação pública a decapitação, aqueles que desejam participar da missa, precisam ir escondidos para participar das celebrações que são feitas nas embaixadas dos paises ocidentais, o que há de bonito nesta história é que alguns padres para poder dar um suporte pastoral aos cristãos, são contratados para trabalhar em empresas que prestam serviços ao país sem revelar a sua identidade sacerdotal, passam o dia trabalhando nessas empresas e exercem o seu ministério sigilosamente à noite, para, desse modo, assistir a quase um milhão de cristãos que apesar de toda proibição e perseguição vivem na Arábia Saudita.


Neste advento tivemos a oportunidade de conhecer a situação da igreja em vários países e percebemos que por meio dela Jesus ainda procura um lugar para nascer como a quase 2 mil anos atrás, que a nossa oração e comunhão de fé com a igreja perseguida no mundo seja uma forma de nos preparar para o Natal de Jesus

2 comentários:

Francisco Gomes de Amorim disse...

Ainda existe alguma igreja na Arábia?

Cesar Augusto Nunes de Oliveira disse...

O que existe são católicos que se reúnem de forma clandestina.